Filtrar
PME

Como as PMEs podem apoiar as famílias de seus colaboradores

03/08/17 09:54

As PMEs podem e devem apoiar seus funcionários nas suas responsabilidades no trabalho e com a família. Horários flexíveis, acesso à educação infantil e apoio em assuntos pessoais são os principais.

As PMEs podem apoiar profissionais com filhos

 

 

Competir contra produtos e serviços de empresas muito maiores faz parte da rotina das Pequenas e Médias Empresas. Mas elas devem, também, tentar se igualar aos grandes quando se trata de políticas de apoio a profissionais com filhos? Todas as evidências sugerem que as PMEs podem gerar benefícios reais quando ajudam os colaboradores a lidar com a carreira e a criação de sua família.

Um bom equilíbrio entre trabalho e vida pessoal estimula os profissionais a dar o seu melhor – o que significa maior produtividade, maior lealdade e maior dedicação. No entanto, muitas pessoas consideram que seus empregos consomem toda a sua energia. Um estudo realizado do Reino Unido apontou que 40% dos trabalhadores negligenciam outros aspectos de suas vidas devido à pressão do trabalho, com mulheres sofrendo desproporcionalmente mais do que os homens, ao experimentar uma qualidade de vida pior.

Uma pesquisa realizada pela Sodexo em sete países aponta que PMEs certamente têm consciência das vantagens adquiridas ao melhorar o equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal de seus funcionários. Em uma pesquisa com mais de 4,8 mil líderes de PMEs, 84% acreditam que ajudar os funcionários a equilibrar seu trabalho com sua vida pessoal aumentaria o desempenho de sua empresa. No entanto, apenas 49% deles acham que poderiam competir com empresas maiores neste aspecto, um dado estatístico que reforça como muitas PMEs não sabem como valorizar mais a família.

Equilibrar os deveres profissionais e familiares da equipe é um grande desafio para PMEs, que precisam permanecer competitivas no mercado de trabalho, no qual a tendência entre as grandes empresas é oferecer maior flexibilidade aos pais. Na verdade, é um problema tão grande que chamou a atenção dos governos. Singapura, por exemplo, lançou um programa específico para incentivar PMEs a oferecer mais apoio a mães que trabalham -  em um país onde oito de cada 10 mães voltam para o trabalho depois de terem um filho. A Ministra Sênior de Estado Josephine Teo declarou, no ano passado, que as PMEs reconhecem a importância de apoiar os pais, “mas, muito frequentemente, não sabem como começar”. Claramente, a necessidade de acesso à educação infantil tem grande peso neste momento da vida de uma família.

As PMEs que buscam competir com empresas maiores em termos de retenção de  talentos podem atender a essas necessidades com iniciativas para apoiar pais que trabalham que podem ser personalizadas. Ajudar oferecendo auxílio-creche, horários de trabalho flexíveis e trabalho remoto de casa, principalmente quando um filho estiver doente, estão dentro do alcance de uma PME. No Reino Unido, por exemplo, pais com filhos de até 15 anos podem trocar parte do seu salário sem o desconto dos impostos por vouchers da Sodexo, que são, então, utilizados para pagar a educação infantil através de um portal online. O programa, que tem apoio do governo, pode ajudar um funcionário a economizar cerca de £900 por ano de custos com educação infantil, enquanto os empregadores economizam cerca de £400 em impostos de contribuição social. Uma pesquisa com 1,2 mil pais apontou que 99,5% deles recomendaria este programa a outras pessoas. Na França, a Crèche Attitude, uma empresa da Sodexo, tem uma oferta semelhante e eficiente em termos de impostos: permite que os empregadores financiem parte dos custos de uma creche para seus funcionários. Sua rede de 1 mil creches atende a 7 mil crianças por dia, aliviando o peso para os pais que trabalham.

Tão importante quanto isso é que as PMEs saibam que podem contar com profissionais especializados externos para ajudá-los a oferecer estes benefícios – melhorando, assim, o desempenho de sua empresa. Um exemplo prático desse auxílio externo é oferecer, para pais que trabalham, um serviço de atendimento que cuide de determinadas tarefas rotineiras, como o agendamento de compromissos, coleta de itens ou encomenda de serviços.

Ao mesmo tempo em que muitas PMEs têm a impressão de que não podem competir com grandes empresas em termos de políticas para pais, a realidade é muito diferente. Entre as iniciativas que podem ser inseridas de forma autônoma e a variedade de serviços que podem ser oferecidos por meio de prestadores de serviços, as PMEs podem ajudar e muito a diminuir a carga dos pais que trabalham. Conforme comprovado por meio de pesquisas, funcionários mais felizes são funcionários melhores.

Políticas para pais em ação: uma PME da Romênia

Para a Network One Distribution, uma PME que atua na distribuição de TI e produtos eletrônicos na Romênia, oferecer um bom equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal dos pais é um desafio –que pode ser alcançado de diferentes formas e que sempre oferece um bom retorno do investimento. “Sabemos que o equilíbrio nunca será perfeito, mas, por exemplo, oferecemos cursos gratuitos de 10 semanas, com duas horas por semana, para preparar casais para a paternidade”, afirma o Diretor de RH Eugen Floarea. “Quando um bebê nasce, oferecemos vale-presentes e, em todos os Natais, organizamos uma festa especial para cerca de 120 crianças e 200 pais. Também adaptamos os horários de trabalho aos horários das creches e, se uma criança estiver doente, sempre permitimos que a mãe fique em casa. Fizemos muito pelos pais nos últimos dois ou três anos, mas sempre sentimos que poderíamos fazer mais.”

Conheça as soluções da Sodexo para PMEs