Filtrar
Gestão de Pessoas

Como mostrar para sua equipe que você é um grande líder

03/07/17 13:39

Neste artigo, você verá empreendedores e CEOs de algumas das melhores empresas do mundo dizendo como fazer isso

Por Marcel Schwantes – Diretor e fundador, Leadership From the Core

Com o passar dos anos, eu pesquisei muito sobre como o exercício da liderança evoluiu ao longo dos anos. O que descobri é que todos os grandes líderes têm uma coisa em comum:  eles contribuem para o crescimento de seus colaboradores e os ajudam a atingir suas metas com alegria, assim podem prosperar e ter sucesso.

Isso soa como um clichê corporativo utópico e usado demais? Talvez para você, mas as pesquisas não mentem. Colocar pessoas à frente do lucro da empresa é o que estimula uma cultura que leva a ainda mais lucro. Imagine só.

E não é coincidência, algumas das melhores e maiores empresas do mundo, incluindo The Container Store, Nordstrom, Zappos e Sodexo, conduzem seu trabalho dessa forma todos os dias.

Angela Ahrendts, vice-presidente sênior de varejo na Apple, explica melhor:

“Todo mundo fala sobre criar um relacionamento com seu cliente. Acho que primeiro você cria um com seus colaboradores.”

Bingo!

Pouco convencional

Além de uma grande eficiência na comunicação, o que diferencia esses líderes são características como exercitar a integridade e estabelecer uma visão forte sobre que precisa ser feito. Mas há alguns traços menos convencionais que passam desapercebidos, embora tenham o mesmo peso. Gostaria de destacar quatro deles.

1. Não virar as costas para sua equipe nos momentos mais difíceis.

Harold MacDowell, CEO da TDIndustries, é um tipo raro de executivo. Ele diz que um valor forte da cultura da TD é manter as pessoas em seus empregos, mesmo nos piores momentos. Ele disse à revista Contracting Business: “Em todos os ciclos de baixa na economia, aprendemos sobre a necessidade de reagir rapidamente e olhar bem à frente para garantir que teremos a receita de que precisamos para manter nossos colaboradores empregados.”

A estratégia? Pense em negócios a longo prazo. Ele disse: “nós nos movemos mais rápido, abraçamos projetos muito grandes e buscamos concentrar esforços em nossos clientes com potencial de estar conosco por mais tempo. Dessa forma, definimos quais seriam as atividades chave dentro da empresa que iriam garantir que conseguiremos superar o resultado financeiro que estamos prevendo”.

Como resultado, diz MacDowell, a maior conquista da TDIndustries na última década foi criar mais de 700 empregos em tempo integral e aumentar o valor da empresa em mais de 230%.         

2. Ele promovem a transparência radical junto a suas equipes

A adorável Container Store define o que ela representa enquanto corporação em seus Foundation Principles. O princípio que acho mais impressionante diz que  “Comunicação É liderança”. Ele foi construído pessoalmente pela CEO da empresa, Melissa Reiff, que o definiu como “um compromisso de praticar, diariamente, uma comunicação consistente, confiável, previsível, efetiva, cuidadosa, atenciosa e, sim, até mesmo agradável”.

Embora isso pareça muito idealista, é uma forma de existir para a Container Store. Aprofundando ainda mais, você começa a ver esses princípios incorporados na cultura e nos valores corporativos, como publicado no website, dizendo: “De forma simples, queremos que cada um dos nossos funcionários saiba absolutamente de tudo sobre a empresa.”

Enquanto esse tipo de transparência radical pode parecer um compromisso um tanto assustador para qualquer organização, The Container Store reconhece o poder por trás desse princípio, afirmando que: “Nada faz alguém se sentir mais parte de uma equipe do que ser comunicado sobre tudo o que ocorre. Sabemos que algumas informações que compartilhamos podem cair nas mãos dos concorrentes, mas as vantagens compensam muito os riscos”.

3. Eles ajudam a comunidade

Embora regalias como disponibilizar refeições, café grátis e salas de fliperama contribuam para fomentar a cultura da empresa, elas atingem os colaboradores apenas em um nível superficial. De acordo com pesquisas, o que tem se mostrado sustentável é uma liderança comprometida em criar uma cultura na qual as pessoas experimentam uma sensação de pertencimento, ao saber que seu trabalho contribui para o crescimento de sua vizinhança, de sua cidade e do mundo.

É por isso que o relatório 2014 Millennial Impact Report, elaborado pela Achieve, foi tão importante e abriu nossos olhos.

De acordo com o relatório, 47% dos profissionais Millennials entrevistados declararam trabalhar como voluntários para uma causa ou ONG e 57% gostariam de ver mais oportunidades para voluntariado na empresa em que trabalham.

Adicionalmente, a pesquisa descobriu que, antes de se candidatarem a uma vaga em uma empresa, um terço dos Millennials analisam seriamente suas políticas de voluntariado. E mais: 39% disseram que isso influenciou a decisão de fazer uma entrevista na empresa e 55% chegaram a afirmar que tais políticas tiveram um papel fundamental na decisão de aceitar uma vaga.

Fica claro que os Millennials preferem trabalhar em organizações que sejam socialmente responsáveis, éticas e que querem fazer do mundo um lugar melhor.

A Fishbowl, fornecedora de soluções de armazenamento e manufatura para a QuickBooks® , dedica um dia de serviço por ano para atividades beneficentes.

Já foram realizados projetos como a restauração de um anfiteatro, a limpeza de córregos e lagos, a visita a veteranos em um abrigo, a pintura de uma escola local e a participação em melhorias para bibliotecas de duas escolas.

Em um artigo para a Forbes, o CEO David Williams disse: “Nossos custos para manter os funcionários fora do escritório neste dia chegam a 200 mil dólares, sem incluir os meses de planejamento e preparação antes dessa data especial. Mas a paixão que isso cria e o vínculo que desperta dentro da empresa torna a iniciativa uma das melhores decisões de ROI (retorno sobre investimento) que você poderia fazer.”

4. Lideram com humildade

No ano passado, conduzi uma pesquisa independente no LinkedIn, na qual perguntei a diversos grupos “Qual é O erro que os líderes cometem com mais frequência?”. Recebi centenas de respostas.

O segundo erro mais frequente que os líderes cometem? Você acertou, liderar com o ego. De certa forma, a arrogância é causa de muito conflito e sofrimento. Como um respondente colocou de forma sucinta: “A arrogância intelectual é como uma praga para alguns líderes e redes de trabalho”.

Ainda de acordo com as respostas, um “sabe tudo” que acredita ter as melhores ideias (ou leva o crédito pelas ideias de outros) e as usa para ter poder e controle sobre os outros acaba com uma equipe.

Como se vê, pesquisas reforçam esse conceito. Um estudo sem precedentes revelou que as pessoas que demonstraram um “orgulho arrogante” (o contrário de seu oposto saudável, o “orgulho autêntico”) eram narcisistas, cedendo a sentimentos de arrogância, grandiosidade e superioridade. Também vivenciaram mais conflitos interpessoais e, ironicamente, foram mais propensos a situações embaraçosas. De fato, essas pessoas, especialmente em cargos de liderança, prejudicam os negócios e o clima dentro das equipes.

Fonte: https://www.inc.com/marcel-schwantes/to-be-a-great-boss-show-these-4-traits-to-your-employees-every-day-most-never-do.html