Filtrar
Diversidade e Inclusão

Ainda não podemos comemorar

05/03/20 15:04

Leia o artigo de Elis Forgerini sobre a realidade das mulheres no mercado de trabalho e o que podemos fazer para mudar esse cenário.

 

A inclusão da mulher no mercado de trabalho

 

Mesmo com um desejo enorme de celebrar o Dia Internacional da Mulher, em função de algumas iniciativas que de tempos em tempos ganham repercussão na imprensa e nas redes sociais, a frustração e o choque ainda falam mais alto. Pois os dados não nos deixam dúvidas.

Um estudo do Dieese sobre a inserção das mulheres no mercado de trabalho, do 4º trimestre de 2019, mostra o quanto a estrada ainda é longa para realmente termos um mundo em que a equidade de gênero seja uma realidade e nós, mulheres, tenhamos todos os nossos lugares de direito. E os números são alarmantes.

Ainda ganhamos MUITO menos que os homens, mesmo ocupando os mesmos cargos. Na avaliação do rendimento médio mensal das mulheres com ensino superior, a diferença salarial é de 38% a menos em relação aos homens!!! Nas posições de diretoria e gerência, a diferença salarial é de 29%.  E com salários tão inferiores aos recebidos pelos homens, a contribuição com a previdência das mulheres também é menor, impactando no valor das aposentadorias. Ou seja, a aposentadoria das mulheres é 17% menor do que a dos homens.

E quando o assunto é desemprego, também lideramos as piores taxas. Representamos 37% dos desempregados do País, contra 27% dos homens.

Recentemente, a Mastercard admitiu que suas funcionárias, em todo o mundo, ganham 7,8% a menos que os homens. Esta “admissão” aconteceu a pedido da acionista Arjuna Capital, que solicitou à empresa um relatório sobre a diferença salarial entre os sexos e os impactos no recrutamento e retenção de talentos femininos. Outras empresas também estão aderindo à campanha de equidade de pagamento liderada por Arjuna, como Citi e Starbucks. Admitir já é um excelente começo. Pois sem transparência e sem visibilidade, as discussões se enfraquecem e as mudanças que desejamos correm ainda mais riscos.

E sem dúvida as empresas podem e devem contribuir com essas mudanças. Aqui na Sodexo já temos inúmeras iniciativas neste sentido além, é claro, do desejo genuíno de estabelecer ambientes mais igualitários e diversos. Ano passado assinamos os Princípios de Empoderamento das Mulheres (do inglês Women´s Empowerment Principles, ou WEPs) da Organização das Nações Unidas, reforçando nosso compromisso de oferecer um ambiente de trabalho igualitário, diverso e inclusivo, para homens e mulheres, com base nas sete boas práticas da ONU Mulheres e do Pacto Global da ONU. Também temos a iniciativa global SoTogether (“Tão Juntos”), um programa que une mulheres e homens em prol da valorização igualitária e acesso equivalente ao crescimento profissional. Essa preocupação e nossos programas e políticas já nos valeram, inclusive, a Gender Equality European & International Standard, ou GEEIS, uma certificação internacional que busca reconhecer a equidade de gênero e a diversidade nas organizações.

Para que a equidade entre os gêneros se torne uma realidade global serão necessários 217 anos (!!!), segundo estudos do Fórum Econômico Mundial. Por isso, a urgência de discutirmos de forma consistente e constante tudo o que podemos fazer para reverter e, por que não dizer, acelerar essa mudança.

Queremos salários iguais e tratamento respeitoso e livre de preconceito ou julgamento de gênero. Respeitem nossas falas, nossas opiniões, nossos sentimentos e sofrimentos. Nos deixem falar e nos posicionar em reuniões. Dividam as tarefas domésticas, não como favor, mas como responsabilidade nata.

Mesmo que a prática da empatia esteja tão em alta, somente quem é mulher sabe e conhece as dores de ser mulher. E se a ideia é celebrar, talvez a maior motivação para este 8 de março seja é o fato de termos conquistado, pelo menos, espaços importantes de fala para discutir e gerar visibilidade a todos esses problemas estruturais e crônicos que vivenciamos diariamente.

Elis Forgerini é gerente de Comunicação e Marketing da Sodexo Benefícios e Incentivos