Filtrar
Gestão de Pessoas

3 lições que você precisa aprender sobre diversidade

01/07/19 08:17

Os profissionais são tão diversos quanto o mundo ao nosso redor. Garanta que seu programa de benefícios atenda, com igualdade, às diferenças de sua equipe

 

Respeitar a diversidade na gestão de pessoas é fundamental para os resultados de empresa

 

Globalmente, empresas competem para atrair e reter os melhores talentos. No entanto, assim como ocorre com a população, esses novos funcionários não se enquadram em um único padrão. O melhor profissional para sua empresa pode ser homem ou mulher, solteiro ou pai de família, heterossexual ou parte da comunidade LGBT. É importante ficar atento a questões de respeito à diversidade no ambiente de trabalho e igualdade de gênero!

Como os empregadores podem criar pacotes de benefícios e reconhecimento que, de fato, sejam atrativos para esses talentos e, ainda, premiem, reconheçam e inspirem a diversidade cultural entre toda a equipe? Encontramos companhias inovadoras em práticas de inclusão no trabalho e respeito à diversidade cultural que estão mostrando o caminho a seguir. 

Lição 1: os benefícios devem ser os mesmos para todos os funcionários

O casamento entre pessoas do mesmo sexo tem sido cada vez mais aceito ao redor do mundo. Mas ainda há muito a fazer. Mesmo sem uma legislação sobre o assunto em Hong Kong, o banco Barclays não hesitou oferecer os benefícios regulares da empresa (convênio médico e odontológico, licença maternidade e paternidade, entre outros) para os parceiros do mesmo sexo de seus funcionários. É preciso respeitar as diferenças nas organizações!

Lição 2: Lembre-se de que seus funcionários são parte importante de uma família

Na correria diária, é fácil perder a noção de que os profissionais têm uma vida agitada também fora do ambiente de trabalho. Eles podem morar com pessoas com necessidades especiais, ser cuidadores de pais idosos ou ainda estar iniciando uma família. 

Pesquisas mostram 25% dos millennials fazem parte de uma geração chamada “sanduíche”: são pessoas que cuidam, simultaneamente, dos pais idosos e dos filhos pequenos. É um percentual que só tende a crescer. 

Empresas com visão de futuro sobre diversidade cultural têm um papel fundamental nesse cenário. Oferecer programas de assistência aos colaboradores, horários de trabalho flexíveis e serviços diversos para atender demandas do dia a dia podem ajudar os profissionais a gerenciar suas vidas pessoais e, com isso, ter mais foco e engajamento quando estão trabalhando. 

O banco norte-americano Schwab oferece aos funcionários até 5 mil dólares por ano para despesas médicas e para custos com a educação dos filhos.  Do mesmo modo, a consultoria global Deloitte atualizou recentemente sua política de benefícios com o objetivo de facilitar a vida dos colaboradores que são responsáveis pelos cuidados de outras pessoas. Agora, todos os colaboradores têm até 16 semanas de ausência remunerada por ano para cuidar dos filhos ou de outros membros da família que precisem de assistência.

O Google disponibiliza um programa de apoio a pais e mães, independentemente do sexo ou do estado civil: ajuda a financiar processos de adoção, oferece licença paternidade/maternidade e até mesmo um serviço de entrega de comida para os pais durante os primeiros meses da criança na casa. 

Lição 3: Equilíbrio de gênero traz benefícios

O equilíbrio de gênero é um dos termos mais usados quando se fala de diversidade e inclusão no mundo do trabalho. Por uma boa razão! As companhias que incentivam a diversidade de gênero nas organizações têm 15% mais potencial de serem as líderes em seus setores de atuação. Equipes mistas, com equilíbrio entre os gêneros, são 80% mais eficientes do que times com um gênero mais representativo do que outro. Estudos mostram que, quando há mais mulheres nas posições de comando, a empresa supera a concorrência a longo prazo. 

No entanto, muitos setores continuam dominados pelo gênero masculino – sobretudo em posições de liderança. No Reino Unido, as mulheres correspondem a 14% dos  membros do conselho executivo das companhias do setor financeiro. Em uma tentativa de reverter essa situação, o governo britânico desafiou as organizações do setor financeiro a atrelar o salário de seus principais executivos a metas relacionadas ao equilíbrio de gênero. Desde o lançamento da medida, em 2016, estão participando organizações como Virgin Money, Lloyds Banking Group, Barclays, HSBC e Royal Bank of Scotland. 

A Sodexo é comprometida com a igualdade de gênero no trabalho e com a diversidade cultural. Até 2020, seu objetivo é aumentar a representação das mulheres dos atuais 33% para 35%. Em 2025, essa proporção deve atingir 40%.

Estudiosos e defensores da diversidade social nas organizações esperam que, num futuro próximo, iniciativas como essas tenham um efeito cascata por todo o mundo. A pergunta para as grandes companhias é bem simples: você quer ser um líder no seu setor ou apenas mais um concorrente?

A Sodexo tem soluções de reconhecimento e para campanhas de incentivo que atendem empresas de qualquer porte e profissionais de todos os perfis. Atendemos a partir de 1 funcionário 

Leia também:

Diversidade: um fator competitivo para empresas

Empoderar mulheres é sinal de evolução

 

Como ajustar o ambiente de trabalho às pessoas?