Filtrar
Gestão de Pessoas

Panorama completo da gestão de pessoas

09/06/20 11:17

Você se interessa pelo assunto? Então, confira no artigo os temas mais importantes sobre esse tipo de gestão. Boa leitura!

 

Gestão de pessoas: panorama completo

 

Se existe um desafio para quem atua com Recursos Humanos, podemos dizer que ele se chama gestão de pessoas. Afinal, elevar o desempenho dos colaboradores sem ter que mexer nos custos da empresa é algo desafiador. E há todo um trabalho por trás para que essa gestão seja feita de maneira que potencialize também as habilidades dos profissionais.

É interessante saber que essa é uma das vertentes mais importantes do RH, trabalhando com o capital intelectual de toda a empresa, visando a otimização de resultados, de processos e, principalmente, a diminuição do turnover. Aliado a isso, a gestão de pessoas também pode ser uma excelente ferramenta para o crescimento da companhia.

A gestão de pessoas

O primeiro questionamento que fazemos é: você sabe mesmo o que seria gestão de pessoas? Em linhas gerais, essa vertente do RH é responsável por definir e esclarecer quais serão as práticas adotadas pela empresa, com foco em ações inteligentes desenvolvidas dentro do próprio setor de Recursos Humanos da companhia.

Com isso, a gestão de pessoas tem seu objetivo principal no envolvimento, no desenvolvimento e na capacitação dos profissionais da organização, promovendo questões fundamentais como o bem-estar dos colaboradores. Dessa forma, tornam-se processos mais naturais a conquista de bons resultados, a melhoria na percepção e reputação da empresa, entre outros.

Essa prática possibilita ainda estreitar o relacionamento com a equipe, demonstrando o quão importante é cada profissional que trabalha na empresa. Isso funciona em duas frentes essenciais: assegurar a saúde da organização e, ao mesmo tempo, cuidar de todos os colaboradores do quadro, para que se mantenha o equilíbrio ideal.

Os fatores essenciais da gestão de pessoas

Para que a gestão de pessoas possa ser aplicada na companhia, o primeiro passo é, sem dúvidas, criar um setor que cuide apenas disso e contar com profissionais focados nesse processo. É importante frisar que esse setor terá como meta estimular o desenvolvimento do capital humano, conscientizando os gestores da sua importância.

Após isso, ficará mais tranquilo criar ações que consigam manter ou, até mesmo, melhorar o clima organizacional da empresa, bem como seguir fielmente os pilares de gestão de pessoas que conheceremos logo abaixo. Veja!

Motivação

Sabemos que um profissional desmotivado no trabalho, sem vontade alguma de cumprir com suas tarefas, passa também por uma realidade: está pronto para encontrar ou aceitar um outro emprego o mais rápido possível. Esse cenário é, de fato, o oposto do que toda empresa quer.

Já que esse assunto é um dos mais sensíveis para se tocar na gestão de pessoas, é fundamental compreender o que está causando a falta de motivação por parte do colaborador. Será que é algo referente ao salário? Benefícios? Crescimento profissional ou incentivos como plano de carreira?

Além dessas questões, somam-se ainda os desafios diários do trabalho que, muitas vezes, podem estar acima do que esse profissional consegue absorver. Sem contar outros quesitos que possam colaborar diretamente com essa desmotivação no trabalho.

Para contornar essa situação, uma dica para ser seguida sempre é: identifique todas as informações que levaram a esse cenário. A partir disso, baseia-se a seleção de novos colaboradores com base no que a empresa realmente pode oferecer de positivo. Ou seja, fazer um processo seletivo que esteja condizente com a realidade da companhia.

Você verá que, tanto em médio como longo prazo, esse tipo de ação pode garantir maior interesse e motivação por parte dos profissionais. E um dos resultados será uma entrega de mais qualidade, aprofundamento e cuidado.

Processo de comunicação

Não podemos falar de gestão de pessoas sem mencionar a necessidade de um ótimo fluxo de comunicação dentro da empresa. Aqui, o mais importante é fazer com que toda a comunicação seja integrada, estando disponível para todas as equipes e seus colaboradores, não importando o cargo ou nível hierárquico dos profissionais.

Para que isso aconteça, é primordial que haja comprometimento por parte da alta gestão, ou seja, dos cargos de liderança, para que o incentivo ao diálogo seja realmente levado a sério. Fora isso, é bom lembrar que essas ações levam a resultados positivos, como: a quebra de barreiras entre as hierarquias, a melhora no trabalho em conjunto e objetivos traçados em comum.

Trabalho em equipe

Vamos falar de algo fundamental para a gestão de pessoas: o trabalho em equipe. Afinal, já reparou como o trabalho rende mais quando todos estão em prol de uma causa em comum? Ou como tudo parece caminhar de forma mais contínua quando todos os departamentos têm algo em comum, como objetivos de crescimento?

O trabalho em equipe faz da organização um lugar com uma única cara, ou seja, em que todos estão juntos buscando o melhor. Isso pode ser visto de duas formas: para a empresa e para o próprio crescimento profissional desse colaborador.

Se todas as pessoas envolvidas conseguem ter isso em mente e visualizar, de fato, a importância da função de cada um, o sentimento de pertencimento ao local de trabalho também aumenta. A consequência desse fato? Pessoas mais felizes realizando as suas tarefas.

Conhecimento e competência

Eis aqui mais um detalhe que faz toda a diferença. Quando uma empresa quer crescer, ela precisa de profissionais que sejam realmente capacitados e com conhecimento para executar as suas tarefas.

Isso é, sem dúvidas, um quesito a se levar em conta na hora de montar equipes, até para criar um ambiente em que exista colaboração e troca mútua de experiências e conhecimentos. Nesse processo, também é fundamental prestar atenção ao desenvolvimento e à formação de valores, à criação de uma cultura organização sólida e bem forte, entre outros.

E como tornar tudo isso possível? Lembre-se de continuar as práticas de gestão de pessoas elencando as suas competências, identificando os pontos fortes e onde elas poderiam melhorar. Afinal, sempre é bom ter essas informações em mãos para montar o melhor time, não é mesmo?

Vale a pena também deixar a prática de feedback sempre em dia. Isso quer dizer, por exemplo, manter uma frequência com que os profissionais recebam e deem os seus feedbacks, para que a empresa esteja sempre caminhando rumo a um futuro melhor e com colaboradores que estão em perfeita sintonia com as suas metas e os seus objetivos.

Treinamento e desenvolvimento

Trabalhar com gestão de pessoas e também pensar em ações para o desenvolvimento dos profissionais. E isso tem um motivo forte: manter os colaboradores sempre atualizados, treinados e aptos para trabalharem com as melhores soluções e inovações. Sendo assim, fique de olho em períodos que precisam de maior reforço em capacitação.

Algumas boas práticas nesse sentido funcionam muito bem em início de ano, durante a chegada de novos clientes, em começo de projetos, no balanceamento de metas e resultados e, também, para potencializar vendas em épocas de menor movimento, por exemplo.

Além disso, é importante buscar manter as necessidades da empresa e dos colaboradores sempre em equilíbrio. Esses treinamentos podem ocorrer sem atrapalhar o desempenho dos profissionais, sendo sempre proveitosos como oportunidade de trocas e experiências entre as equipes e a liderança.

Gestão de pessoas e cultura organizacional

Toda organização tem em seu DNA uma cultura que identifica ser a sua própria. Essa cultura organizacional compreende um padrão que engloba hábitos que toda a empresa deve ter em comum, funcionando como um guia na resolução de problemas. Além disso, essa cultura também é uma forma de expressar como ela funciona internamente.

Podemos dizer, então, que a cultura organizacional é uma série de hábitos e crenças que foram estabelecidos por valores, normas e expectativas anteriormente compartilhadas com os colaboradores. E isso vale, inclusive, para os recém-chegados.

Resumidamente, a cultura organizacional é sim considerada como parte fundamental da gestão de pessoas, já que traça como serão os modos a serem seguidos, o comportamento aceito dentro da empresa e, até mesmo, a maneira como os profissionais interagem e trabalham. Mas o que tudo isso quer dizer?

Um dos pontos altos de a gestão de pessoas estar atrelada a uma boa cultura organizacional é conseguir desenvolver algo chamado "cultura do compromisso". Isto é, uma cultura em que exista um encorajamento pela busca da aprendizagem por parte dos colaboradores. Além disso, que o conhecimento seja aplicado em prol da inovação e de soluções diferenciadas.

Ao final, o que importa mesmo é que a sua equipe tenha uma relação de reciprocidade com a empresa. E o papel do RH é o de atuar exatamente na interpretação de objetivos, para conseguir traçar estratégias e alcança-las da melhor maneira possível, com a ajuda de ações de gestão bem focadas, planejamento, organização e metas bem definidas.

RH e gestão de pessoas

Como você viu até agora, a área de gestão de pessoas é uma ramificação dentro do RH. Isso quer dizer, por exemplo, que as duas áreas têm objetivos diferentes. Assim, enquanto o RH como um todo tem o foco no relacionamento entre empresa e seus colaboradores, a gestão de pessoas está mais ligada ao desenvolvimento desses profissionais.

Vale dizer ainda que as duas atuações são muito importantes e devem andar sempre juntas, auxiliando uma a outra no crescimento da empresa. De forma mais direta, o RH cria estratégias para a organização funcionar bem, e a gestão de pessoas faz o papel de ser engajadora, harmonizadora e zeladora pela equipe da empresa.

Um exemplo prático é: uma marca precisa de um novo profissional para compor a equipe de marketing. Começa a fazer a seleção específica, contrata e cuida de todas as questões de salários, benefícios, contratação etc. Já a equipe de gestão de pessoas entra para auxiliar no plano de carreira, na sua adaptação ao trabalho, no seu bem-estar, entre outros.

Os 4 passos para uma gestão de pessoas de sucesso

A primeira coisa que você precisa ter em mente é: para ter uma excelente gestão de pessoas, é importante basear-se em dados, analisando todo o comportamento e ambiente corporativo. Assim, tenha indicadores que mostrem como está seguindo esse processo, onde é necessário mudar, entre outros aspectos. Veja alguns deles abaixo.

1. Avaliação de desemprenho

Com a ajuda desse indicador, você conseguirá identificar mais claramente quais são os colaboradores que se destacam ou aqueles que precisam de ajuda. Para que funcione, é possível usar algumas ferramentas como métricas para qualidade do trabalho, custos e tempo gasto nas tarefas do dia a dia.

É essencial reforçar que essa métrica é realmente interessante para auxiliar no reconhecimento de alguém da equipe que precise de atenção ou, quem sabe, passa por algum tipo de processo no desenvolvimento profissional.

2. Turnover

Se tem algo que conta bastante para a reputação de uma empresa, para a sua própria organização e imagem interna, ela se chama turnover. Também conhecido como rotatividade de profissionais, esse é um importante indicador que mostra o quão eficaz está sendo o recrutamento e a seleção de talentos.

Preste atenção, pois, se a taxa de turnover for acima de 5%, é necessário ter atenção redobrada. As chances de algo estar errado ou de uma possível insatisfação, descontentamento ou crise pode estar prestes a acontecer.

3. Taxa de absenteísmo

Quando falamos em absenteísmo, é essencial entender exatamente o que ele significa. Esse indicador vem para mostrar o equilíbrio entre ausência do trabalho versus o total de horas trabalhadas de um colaborador. Se você notar que o grau de absenteísmo está alto, alguns problemas no clima da organização podem estar acontecendo.

Outro aspecto importante é que faltar demais ao trabalho também mostra que o profissional está passando por algum problema, seja ele pessoal ou mesmo dentro da empresa, na jornada de trabalho. Vale a pena tentar descobrir o que está acontecendo e se aproximar para encontrar a melhor solução para o problema.

4. Satisfação do colaborador

Uma das métricas para entender como anda o nível de satisfação do colaborador é medir o clima organizacional. Como? Analisando as equipes para identificar se há algum ponto ou estratégia fraca que tenha puxado para baixo o contentamento dos profissionais. Para isso, um método que tende a funcionar é uma pesquisa interna com todo o quadro de colaboradores.

Algumas questões que podem ser abordadas são: como anda o relacionamento junto à liderança da sua equipe? As oportunidades de desenvolvimento e crescimento têm acontecido com que frequência? Quanto aos benefícios oferecidos pela empresa, os mais importantes são oferecidos? O que poderia ser melhor?

Com esses dados em mãos, você pode chegar a um grau bem próximo de como anda a satisfação do colaborador. A propósito, esse tipo de indicador também pode fazer toda a diferença quando a empresa estiver passando por alguma reforma na gestão ou estiver com planos de expansão e crescimento.

Vantagens da gestão de pessoas

Vamos listar abaixo alguns benefícios que uma boa gestão de pessoas pode trazer para a empresa. Lembrando que, neste tópico, vamos falar das consequências positivas que a gestão de pessoas proporciona para a imagem da organização, enquanto que, no próximo, falaremos sobre a relação entre benefícios e o trabalho de gestão, ou seja, possíveis ações com foco nos benefícios concedidos aos trabalhadores. Confira!

Contratações mais certas

Se você tem um processo seletivo que é realmente eficiente, provavelmente ele é reflexo de uma gestão de pessoas que está seguindo o caminho correto.

Para se ter uma ideia, durante o processo de seleção, o principal objetivo do recrutador é encontrar o profissional mais qualificado para o cargo. Porém, algumas vezes, os gestores deixam de lado algo fundamental: checar se aquele candidato está realmente alinhado com o que ele deverá desempenhar, caso seja contratado.

Isso pode levar a profissionais insatisfeitos com o trabalho, desmotivados e frustrados por estarem fazendo algo que não haviam imaginado ou até prontos a deixarem o emprego. Consequentemente, a empresa terá que gastar mais para fazer uma nova contratação.

Mas, se você conta com uma gestão de pessoas bem estruturada, será possível definir bem o perfil do futuro colaborador e ir em busca de profissionais que estejam realmente alinhados a esse propósito. Dessa forma, você conseguirá poupar tempo e gastos acertando na contratação.

Aumento da produtividade

Conseguir seguir em frente em projetos porque a equipe está muito produtiva é ótimo. E isso está ligado diretamente à motivação desses profissionais. De acordo com um estudo feito pela consultoria Right Management, um colaborador que está satisfeito no seu trabalho consegue potencializar os seus resultados 50% mais.

E o que contribui para isso? Uma empresa com políticas claras, abertura para conversas e críticas, incentivos para a inovação, diversidade interna, possibilidades de crescimento para qualquer profissional, entre outras ações. Quanto mais motivos você der para o colaborador se sentir satisfeito onde está, maiores são as chances de ele ser produtivo dentro da empresa.

Atração e retenção de talentos

Sabemos que encontrar bons profissionais não é uma tarefa fácil. Mesmo diante de um mercado com uma vasta quantidade de mão de obra (em, pelo menos, algumas das profissões), nem sempre os candidatos têm a experiência e o jogo de cintura necessários para encarar o desafio da sua empresa.

A questão é que, às vezes, você pode estar diante de um bom profissional e não perceber que ele é a pessoa certa. Para isso, mais uma vez, a gestão de pessoas entra com força total, pois, uma vez estabelecida na organização, fica mais tranquilo criar oportunidades que atendam aos requisitos mais básicos para conseguir atrair o talento.

Sem contar que, ao mesmo tempo, não basta atrair um bom profissional. É preciso saber como reter ele na empresa e não perdê-lo, por exemplo, para a concorrência. Nesse sentido, é fundamental ter objetivos definidos na gestão que consigam mostrar ao colaborador o quão valiosa é a oportunidade que ele tem em mãos.

Benefícios e gestão de pessoas

Agora sim, neste tópico, vamos aos benefícios que podem ser acoplados a uma boa gestão de pessoas. Imagine que um profissional não procura apenas por estabilidade na carreira, mas também um pacote de benefícios que estejam alinhados à sua experiência, ao currículo e às passagens por outras empresas — além, é claro, das suas necessidades.

Alguns dos benefícios muito usados na gestão de pessoas são os de alimentação, por exemplo. Para se ter uma ideia, hoje no Brasil muitas empresas aderiram a esse sistema. Isso ajuda bastante a ter mais controle com os gastos nesse setor, além de oferecer mais conforto aos colaboradores. Afinal, há muitos estabelecimentos que aceitam vale-alimentação e/ou vale-refeição como meio de pagamento.

Outro benefício muito usado é o vale-transporte ou o vale-combustível: duas formas de possibilitar ao profissional contratado a sua mobilidade até o local de trabalho. É bom lembrar que esse tipo de gasto, quando partilhado com a empresa, é um dos que podem ter boa aderência e contar como pontos a favor também na hora de reter um talento, sabia?

Por fim, mas não menos importante, outro benefício que vale a pena apostar é no de bem-estar. Afinal, nos dias de hoje, muitas pessoas passam mais tempo dentro de um escritório do que em outras atividades pessoais. Então, quanto mais válvulas de escape para que o colaborador possa sempre renovar as energias e desestressar, mais positivo é o benefício.

Então, se você conseguir alinhar esses tipos de benefícios junto a uma gestão de pessoas com foco na eficiência, verá que, em uma questão de poucos meses, o nível de satisfação dos colaboradores terá aumentado. Sem contar que outras áreas podem ser impactadas positivamente, como a de resultados, retenção de clientes, baixo turnover, menos gastos com contratação de novas pessoas e, principalmente, mais tempo para cuidar de outros assuntos.

Depois de conferir todo esse panorama da gestão de pessoas, o que você acha de começar a se estruturar ou melhorar os métodos dessa área na sua empresa? Não se esqueça de que essa é uma estratégia que tende a dar sucesso, trazer mais confiança para a empresa e, ainda, proporcionar um ambiente sadio e interessante de trabalho para toda a equipe. Aposte nisso!

Gostou deste conteúdo sobre gestão de pessoas? Então acompanhe nosso blog e tenha sempre em primeira mão conteúdos interessantes como esse!