Filtrar
Sodexo Club

E aí, como anda a sua relação com a comida?

29/10/21 16:29

Os índices de sobrepeso e obesidade só aumentam no Brasil. Como ter uma relação saudável com nossa alimentação? Veja nesse artigo do Programa Viver Bem

 

Crie uma relação mais saudável com a comida

 

Como se diz na internet, a vida não está fácil para ninguém. Ainda mais quando o assunto é nossa alimentação. Fome emocional, transtorno de ansiedade como gatilho, saúde mental prejudicada... tudo isso impacta na alimentação. Nossos dias, cada vez mais corridos, nossas refeições, cada vez mais "atropeladas", e os números de sobrepreso e obesidade crescem cada vez mais no Brasil, assim como a "cobrança" para se ter aquele corpo perfeito, tanto celebrado na mídia e redes sociais. 

Com uma vida cada vez mais moderna e agitada,  aprendemos a pedir comida pelos aplicativos de delivery e isso facilitou, mas nos afastou. Prestamos atenção nas telas, mas esquecemos de prestar atenção no prato. Como ter uma boa alimentação? Quantas vezes você já ouviu ou mesmo falou "eu não lembro nem o que eu almocei hoje"?. E se não recordamos nem o que comemos, imagina saber sobre a história, origem, do que e como foi feito os alimentos?!

Tanta correria contribui para que a gente fique cada vez menos conectado com o alimento: comemos na frente da televisão ou com a cara grudada no celular, se perguntando como as pessoas conseguiram aquele shape sarado em apenas uma semana. A propósito, você não está lendo este texto sobre alimentação e saúde enquanto come, certo?!

E mesmo sem lembrar o que comeu no almoço ou comer de qualquer jeito, geralmente é na comida que descontamos quando a vida não está fácil para ninguém (é a chamada fome emocional, já ouviu falar?).

Hoje em dia, é muito mais comum - devido à pandemia - termos sentimentos mais frequentes como estresse, medo, ansiedade, frustração, tédio, entre outros.

Assista o vídeo:
Relação com a comida

 

E o que é essa fome emocional?

A fome emocional é aquela vontade de comer que se manifesta em razão de situações indesejadas ou sentimentos desagradáveis. A vontade é por alimentos específicos como fast food, alimentos gordurosos ou açucarados.

Esse tipo de fome é bem comum e não é errado comer algo quando não está bem emocionalmente, diferentemente da fome física. Porém, pode virar um problema se acontecer com muita frequência e seu cérebro se condicionar a acreditar que só vai ficar bem se comer determinado alimento. Isso pode trazer prejuízo à sua saúde.
 

Baixe o e-book
Como está sua relação com a comida?


Por que a fome emocional acontece?

Antes de mais nada, é importante reforçar: é normal ficarmos tristes, ansiosos, nervosos ou alegres. 
É parte de nossa natureza termos essas emoções e sensações. No entanto, devemos estar atentos à forma que reagimos a esses estímulos.

Por essa razão, devemos identificar quais são os gatilhos para esse tipo de comportamento, que podem ser: 

Restrições alimentares – isso mesmo, fazer dietas restritivas ao longo da vida pode ser um gatilho para o comer emocional, pois a pessoa se priva de determinado alimento na dieta e quando se encontra em uma situação indesejada ou estressante, tem maior chance de comer mais;

Impulsos sentimentais – os sentimentos não são a causa especificamente, mas, sim, a maneira pela qual reagimos a eles; 

Situações indesejadas – qualquer tipo de situação que te gere algum sentimento desconfortável;
Dificuldade em perceber os sinais internos de fome e saciedade no corpo. Você consegue identificar quando está com fome fisiológica e quando está satisfeito?

É importante realizar uma autorreflexão sobre:

  • Quais alimentos sente vontade de comer quando tem fome;
     
  • Se sente fome de repente, ou se ela surge aos poucos, de forma gradativa;
     
  • Se tem vontade de comer depois de algum sentimento desagradável;
     
  • Se você sente culpa depois de comer.

Leia também:
Mitos e verdades: relação com a comida

Como contornar a fome emocional?

O primeiro passo é entender que existe a fome emocional e que está tudo bem se um dia você tiver. Existem muitos sentimentos que podem levar a isso. Você pode identificar os gatilhos que te levam a esse comer e encontrar outras formas de lidar com esse sentimento. Faça uma lista de atividades que te deixem bem e que não envolvam comida, assim você já sabe o que fazer quando bater aquela vontade de comer. O mais importante é, em caso de dúvida, procurar a orientação de um médico, nutricionista ou psicólogo.

Como você pode melhorar a sua relação com a comida? 

  • Entenda e aceite que existe a fome emocional.
     
  • Não faça dieta restritiva – pode gerar uma péssima relação com a comida.
     
  • Cozinhe mais – se aproxime do alimento e cozinhe do seu jeito. Você pode descobrir que ama fazer isso. O mais importante é não encarar como uma obrigação doméstica, e sim, como algo que te faz bem.  
     
  • Planeje-se para conseguir preparar suas refeições. Se não consegue cozinhar todos os dias, faça em um dia a comida da semana e congele. Isso vai te poupar um bom tempo.
     
  • Identifique e respeite a sua fome. Comece a perceber seus sinais internos de fome e saciedade. Coma quando estiver com fome e pare de comer quando estiver satisfeito. 
     
  • Coma com mais atenção e consciência. Dê à refeição o espaço que ela merece. Sente-se à mesa com quem você mora e coma sem distrações como televisão e celular. Isso vai te ajudar a ter atenção e saborear o que tem no seu prato.
     
  • Seja gentil com você e com o seu corpo. Não passe vontade de comer alguma coisa, lembre-se que não existe alimento proibido. Tudo é uma questão de equilíbrio. 

Fique de bem com a comida agora mesmo!  

Este conteúdo foi produzido pelo Programa Viver Bem, o Programa de Saúde, Bem-Estar e Qualidade de Vida da Sodexo Benefícios e Incentivos, que tem como objetivo promover um estilo de vida saudável a todos os públicos, apoiar ações de educação alimentar e qualidade de vida, além de melhorar a situação nutricional dos trabalhadores brasileiros no ambiente de trabalho – e fora dele.