Filtrar
Sustentabilidade

O Horta na Laje ganha mais força com premiação

04/12/19 11:32

Projeto que fomenta o cultivo de alimentos em lajes na região de Paraisópolis (SP) foi reconhecido com o troféu GEEIS, em Nova York

 

Horta na Laje é um projeto que capacita mulheres para empreender

 

Em 2017, a Sodexo ajudou a formular e deu o apoio a um projeto pioneiro de sustentabilidade social no Brasil, o Horta na Laje, iniciativa que fomenta o cultivo de alimentos por moradores de Paraisópolis, uma das maiores comunidades de São Paulo. Já que não há espaço no chão, a ideia é fazer isso nas tradicionais lajes. Dois anos depois, a empresa foi reconhecida globalmente pela iniciativa e recebeu o troféu GEEIS, da Arborus, organização não governamental europeia dedicada à inclusão das pessoas e à promoção da equidade de gênero. 

“É um prêmio que tem o aval da ONU (Organização das Nações Unidas) e foi entregue depois de uma seleção muito criteriosa feita por um time de grandes jurados”, conta Fernando Cosenza, vice-presidente de marketing estratégico, inovação e digital na digital na Sodexo Benefícios e Incentivos e, também, do Instituto Stop Hunger. Fernando viajou a Nova York para receber o troféu, em nome da companhia. 

O Horta na Laje é um programa de sustentabilidadee social e empoderamento feminino realizado pela Associação de Moradores de Paraisópolis em parceria com o Instituto Stop Hunger, entidade sem fins lucrativos que tem o apoio da Sodexo. “É uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), então somos os principais mantenedores, mas também captamos doações”, conta o executivo. Para Fernando, o principal valor da premiação global é garantir a possibilidade de que o Horta na Laje se expanda: “O reconhecimento nos dá força, nos ajuda a atrair uma rede de patrocinadores para ajudar o projeto a crescer e levar impacto positivo para mais gente”. 

PROPAGAR CONHECIMENTO E EMPODERAR MULHERES 

Na prática, o que o Horta na Laje faz é propagar conhecimento. Em oficinas mensais sobre sustentabilidade social, moradores de Paraisópolis aprendem a cultivar hortaliças em casa e recebem, gratuitamente, os insumos básicos para que comecem a própria horta, como vasos, sementes e mudas. O objetivo da iniciativa é fomentar a alimentação saudável e dar uma força na economia doméstica, já que uma família pode economizar mais de 900 reais por ano no mercado ao plantar os próprios alimentos. 

Fernando diz que este não é o objetivo principal, mas lembra que há também uma terceira possibilidade: usar a horta para gerar renda ao vender as hortaliças e verduras no próprio bairro. 

O projeto é aberto a qualquer morador da região que tenha interesse, mas tem como foco as mulheres e o empoderamento feminino. “Em grande parte das famílias da região, a mulher é a provedora, além de ser responsável pela alimentação das famílias. Com o projeto, elas são capazes de potencializar o impacto positivo que podemos gerar ali”, diz Fernando. 

Ele aponta que, ainda que de forma indireta, o Horta na Laje também ataca um problema recorrente em muitas comunidades em situação de vulnerabilidade do Brasil: a violência contra a mulher. Segundo Fernando, acessar conhecimento e se conectar com a comunidade incentivam o empoderamento feminino e podem ser passos importantes para que as moradoras do bairro consigam sair de relacionamentos abusivos. 

GERAR BENEFÍCIOS PARA A COMUNIDADE 

O Horta na Laje conquistou espaço de destaque na premiação não apenas por ser um programa voltado à sustentabilidade social, mas por incentivar o empoderamento feminino. Segundo Fernando, a iniciativa não foi indicada pelo Brasil, mas escolhida para representar o trabalho da Sodexo nesta frente pela matriz da companhia, na França. 

Fernando entende que o principal benefício do prêmio é o incentivo para que o projeto alcance resultados positivos ainda maiores. “Ganhamos visibilidade e, com isso, capacidade de atrair mais investimentos”, diz. Ele ressalta que o primeiro objetivo é ampliar a doação de materiais para que as pessoas cultivem hortas em casa, incentivando o empoderamento feminino, visto que as mulheres poderão até gerar renda extra com o programa. 

Em seguida, a Sodexo e o Instituto Stop Hunger planejam ampliar a iniciativa para além de Paraisópolis. “A associação de moradores do bairro tem o plano de formar uma rede com outras comunidades e o Horta na Laje pode fazer parte disso e chegar a outros bairros”, conta. Afinal, neste caso, compartilhar a iniciativa é sinônimo de multiplicar seus benefícios.

Conheça os números do projeto Horta na Laje 

  • 120 mil pessoas moram em Paraisópolis, uma das maiores comunidades de São Paulo;
  • 3 mil habitantes do bairro já foram treinados para fazer hortas em casa de maneira sustentável;
  • R$ 912 é quanto uma família pode economizar por ano ao plantar os próprios alimentos;
  • 21 mil é o número de lajes existentes em Paraisópolis, prontas para receberem hortas.

logo-draft.png O artigo é resultado uma parceria da Sodexo com o Projeto Draft.

Conheça mais.

Leia também:

Saiba mais sobre o prêmio que o Horta na Laje recebeu na ONU

Vídeo mostra o Horta na Laje rodando em Paraisópolis (SP)