• Início
  • Sodexo Insights
  • Por que o ESG é determinante para o futuro das empresas e como colocá-lo em prática

Diversidade e Sustentabilidade

Por que o ESG é determinante para o futuro das empresas e como colocá-lo em prática

A agenda é urgente e precisa ocupar posição estratégica no negócio. Saiba como fazer isso

O que é ESG e como iniciar numa empresa

Há um novo padrão ditando o mundo dos negócios e as empresas que quiserem se manter competitivas devem segui-lo. Estamos falando de um modus operandi que, muito além de geração de valor econômico, se preocupa e atua em prol do meio ambiente, promove impacto social positivo e tem uma governança corporativa solidificada em ética. Resumindo: ESG.

O mercado, por sua vez, já está cobrando que as empresas coloquem em prática suas ações nesse sentido. Você já começou a traçar um plano? Quer ajuda para isso? Vá até o final deste artigo. Você verá:

Por que o ESG vem ganhando relevância

A primeira edição do ESG Consumer Index, da agência Lew’Lara\TBWA em parceria com a DCODE, mediu como o consumidor percebe as ações de ESG. O resultado é que 42% da população geral diz que as práticas ambientais são o aspecto mais importante na hora de escolher uma empresa, ao passo que 32% citam o aspecto social e 25% mencionam ações de governança. 

O tema vem ganhando tanta relevância que o Pacto Global da ONU Brasil lançou uma campanha que repercutiu pelo conteúdo cheio de ironia. Reforçando que não há mais lugar para companhias que não se preocupam com as questões socioambientais, o filme enfatiza as vantagens de se mudar para Marte. 

Mas a solução está mesmo por aqui, na construção de um futuro melhor e com atuação sobre os prejuízos já causados. Para sobreviver, as empresas precisarão evoluir e ajustar seus modelos de negócio, com práticas ESG contundentes que trarão resultados positivos, reputação e credibilidade. 

Descomplicando: o que é ESG

Vamos ao significado de cada letrinha desse termo tão importante: Environmental (que significa ambiental em inglês), Social e Governance (governança). 

O Ambiental se refere às práticas da empresa que envolvem o meio ambiente, como ações para combater o desmatamento, o aquecimento global e a emissão de carbono, o controle de resíduos, o cuidado com a biodiversidade, e por aí vai. 

Já o Social diz respeito à responsabilidade social, ou seja, o que a empresa faz pensando na comunidade e na sociedade como um todo. Entram aqui questões fundamentais como direitos humanos e diversidade, por exemplo. 

Por fim, Governança, como o nome indica, fala de políticas empresariais, estratégias e administração da empresa. Nesse quesito, destacam-se os fatores ligados à ética e compliance

Mas, afinal, por que investir em práticas ESG? A resposta está no chamado da sociedade, que não tolera mais os impactos negativos das empresas no meio ambiente e nas comunidades. 

E, além da reputação da marca com os consumidores, o mercado também está de olho. Os pilares de ESG entram nas análises de risco e nas tomadas de decisão dos investidores. 

Ou seja: se a sua empresa não adotar ações concretas, perderá valor diante dos consumidores, dos investidores e verá seus talentos partindo em busca de companhias alinhadas à sustentabilidade. 

5 passos para implementar o ESG na sua empresa

Para não ficar só no discurso, é preciso colocar em prática ações que resultem em algo genuíno. 

1. Faça uma autoanálise

O primeiro passo é entender como a empresa atua e os impactos que ela produz. Encontrados os pontos negativos, é preciso pensar em como reverter o cenário e em ações efetivas para isso. Por outro lado, anotados os aspectos de impactos positivos, é importante reforçá-los e multiplicá-los. 

2. Incorpore o ESG na cultura empresarial 

Todos devem estar alinhados para que dê certo! Por isso, comece pelos CEOs, diretores, gestores, enfim, pela liderança. Eles serão exemplo e poderão cascatear as práticas, desde que acreditem nelas. Somente com um mindset voltado ao desenvolvimento sustentável por parte de todos é possível entrar no caminho. 

3. Nomeie um conselho/comitê

É preciso contar com pessoas bem engajadas e informadas que olhem para o ESG com a importância que ele realmente tem. Uma área específica será responsável por criar estratégias e condutas, gerenciar, fiscalizar, disseminar a cultura e garantir a incorporação do tema na operação. 

4. Crie um programa sólido 

Defina junto ao conselho um programa de trabalho com objetivos claros e meios para alcançar os resultados. Crie metas para cada pilar do ESG que sejam possíveis e relevantes, e mantenha-as atualizadas. Revisite as estratégias, mude de rota se for preciso e mantenha o foco nas ações. 

5. Invista  

Destine um budget específico que seja capaz de suprir as necessidades dessa nova agenda. O ESG deve entrar como pilar estratégico da empresa, pedindo investimento financeiro. Tenha em mente que os resultados positivos para o negócio serão sentidos lá na frente.

Baixe um e-book gratuito sobre employer branding e marca empregadora

Leia mais: veja como trabalhar o ESG
é essencial para criar uma marca empregadora

Concluindo

Uma pesquisa feita em 2022 pelo The Harris Poll para o Google apontou que os tomadores de decisão colocaram os programas de sustentabilidade e tecnologia à frente de qualquer área em termos de investimento neste ano. 

Outro estudo, da consultoria Page Executive, mostra que o cenário projetado para os próximos anos se desenha de forma mais tranquilizadora. Isso porque os profissionais do futuro já demonstram que entendem a importância e o poder das práticas de ESG além do discurso.  

A Sodexo é reconhecida mundialmente por suas boas práticas em ESG e, por isso, é o parceiro ideal na hora de escolher um fornecedor de benefícios. Fale com a gente e assine a nossa newsletter para acompanhar as principais tendências.

Quero saber mais sobre as soluções Sodexo

thumbInscreva-se para receber novos conteúdos