• Início
  • Sodexo Insights
  • Big Data para o RH: entenda o poder dos dados na gestão de pessoas

Inovação e tendências

Big Data para o RH: entenda o poder dos dados na gestão de pessoas

O People Analytics está aí - e o RH do futuro deve aproveitá-lo para tomar decisões inteligentes. Veja como isso acontece!

Artigo - Big data.jpg

Sabe aquele potinho de ouro no final do arco-íris? Na era digital, ele já ganhou nome e sobrenome: Big Data. Essa área do conhecimento é capaz de captar e tratar muitos e muitos dados - e olha que o volume é grande. A cada seis minutos, por exemplo, são gerados 9,1 mil terabytes de novas informações.

Sai na frente, então, quem souber aproveitar todo o potencial desse recurso. Quando falamos em gestão de pessoas, big data e inteligência analítica, a análise dos dados implica em ganhos diretos: aumento da produtividade, decisões mais acertadas e  a garantia de um ambiente profissional saudável e equilibrado. E aí, quer saber como essa prática tem ajudado a construir o futuro do RH? É o que contamos no vídeo a seguir:

Você também verá:

People Analytics: o que é e quais os benefícios

Quando uma empresa quer abrir uma loja em um local promissor, ela analisa os dados da região. Se a ideia for criar uma campanha de vendas vencedora, o que se avalia? Os dados. Então, por que não estudá-los quando se trata da gestão das pessoas que trabalham em uma empresa? Não parece haver outra resposta para esta pergunta, não é? É urgente colocar essa prática em ação para ter um RH ainda mais inteligente, que toma decisões com base em movimentações reais.

O setor batizou essa técnica de People Analytics (ou análise de pessoas, em português). Segundo a consultoria Gartner, tal estudo "permite que os líderes de RH tenham insights orientados por dados para aprimorar processos relacionados à força de trabalho e promover uma experiência positiva aos funcionários".

Vamos a um exemplo prático: ao analisar o indicador relacionado às faltas dos colaboradores, o setor descobre que uma pessoa, em especial, tem se ausentado diversas vezes seguidas. Com essa informação em mãos, tenta entender o que está passando e detecta que é por conta de um problema ligado à saúde mental. O que a empresa faz? Oferece apoio psicológico.

Esse tipo de movimentação contribui diretamente para que a experiência do funcionário seja melhor. Do outro lado, a empresa também ganha. "Pessoas satisfeitas, com a saúde em dia e felizes, são muito mais produtivas", comenta o especialista Galo Lopez Noriega.

Além de identificar tais questões, o RH ainda consegue analisar melhor os talentos, contribuindo para retê-los. O mesmo acontece com as contratações. Segundo Ana Meneghini, CRO da Sólides, as maiores dores do setor são justamente os altos índices de turnover e os processos de recrutamento. "Tomar decisões erradas representa custos muito altos para os negócios", diz. 

De acordo com ela, se o RH atuar de modo estratégico, esses gastos desnecessários tendem a desaparecer. "Quando o trabalho é orientado por dados, há uma queda de até 80% no volume de problemas enfrentados durante o processo seletivo", comenta a executiva.

Como implementar o People Analytics

Qualquer tipo de empresa pode e deve avaliar os dados - é uma prática totalmente possível. Na dúvida? Te mostramos como começar.

Defina os objetivos
O primeiro passo é definir quais são os objetivos do RH ao adotar o People Analytics. Ou seja, o que deseja avaliar, medir ou identificar.

Escolha um processo
Você precisa definir como irá coletar as informações alinhadas a esses objetivos. Softwares voltados ao gerenciamento de dados são uma grande ajuda! Esses sistemas têm capacidade para captar e analisar volumes grandes de insumos. Há diversas opções no mercado, com valores e possibilidades de contratação variados. 

Envolva a equipe
Segundo Noriega, muitas pessoas ainda pensam que só engenheiros, por exemplo, devem saber lidar com os números. Ledo engano. "É uma habilidade que profissionais de todas as áreas deveriam ter", comenta. Por isso, invista em treinamentos para o time de RH para que esse tipo de análise passe a fazer parte da rotina.

Aproveite todo o potencial dos dados
Os dados coletados orientarão as decisões, tornando a área estratégica e certeira. Pense nos benefícios para funcionários, por exemplo. Ao analisar o perfil dos profissionais, como endereço, hábitos e aptidões, a empresa consegue seguir pelo caminho da flexibilização. Isso significa oferecer opções mais adequadas para os times, como um curso de inglês para quem não domina o idioma, um vale-creche para pais com filhos pequenos ou apoio psicológico em caso de necessidade.

Dessa forma, todos saem ganhando. "Traga os dados para você para que isso te fortaleça enquanto protagonista no dia a dia do negócio. Você tem tudo nas suas mãos, é muito bom, use", afirma Ana.

Concluindo
Sim, os dados são ouro para os negócios! E isso não poderia ser diferente quando falamos de RH. Implementar o People Analytics é uma forma eficaz de garantir resultados melhores e fazer uma gestão de pessoas orientada. Assim, você consegue potencializar talentos, contribuir para o bem-estar e oferecer benefícios flexíveis, de acordo com as necessidades (e vontades) de cada funcionário.

Ou seja, uma combinação vencedora! Quer começar hoje a colocar tudo o que falamos em prática? Então, aproveite para assistir este vídeo que preparamos e irá te orientar nessa caminhada. Aproveite!

Quero saber mais sobre as soluções Sodexo

thumbInscreva-se para receber novos conteúdos