• Início
  • Sodexo Insights
  • Plant-based: crie um cardápio vencedor

Inovação e tendências

Plant-based: crie um cardápio vencedor

Veja como os restaurantes podem aproveitar essa forte tendência no ramo de alimentação


Tendência nos restaurantes: refeições plant-based

Você deve ter percebido ao seu redor um número cada vez maior de pessoas optando pelo vegetarianismo e veganismo nos últimos tempos, não é? Esse mesmo grupo também busca constantemente alternativas saborosas aos alimentos de origem animal, como os plant-based.

Aliás, você sabe como surgiu a tendência do movimento plant-based no mercado de alimentação, incluindo os restaurantes? Não? Então, aproveite esta leitura para descobrir mais sobre o assunto e entrar com tudo nessa onda de alimentação saudável que veio para ficar!

O que é e como surgiu o movimento plant-based?

Antes de tudo, é importante compreender o que é plant based. O conceito valoriza o consumo de alimentos de origem vegetal, a dieta alimentar deve evitar produtos refinados e ultraprocessados. Além disso, excluir insumos de origem animal, sejam ovos, laticínios ou carnes da preparação dos alimentos.

O termo em inglês, traduzido literalmente para "à base de plantas", surgiu na década de 1980. Na época, o cientista T. Colin Campbell definiu de plant based a dieta baseada em vegetais, com alto teor de fibras e pouca concentração de gordura.

No mercado de alimentação, os alimentos plant based são produzidos com alta tecnologia, ressaltando o sabor e a textura dos alimentos à base de plantas. No entanto, ainda não existem normas regulatórias específicas no Brasil que estabeleçam modos de produção para os insumos destinados a essa dieta alimentar saudável.

Há muito tempo já se fala em substituir produtos que levam carne e outros produtos de origem animal no cardápio para receitas vegetarianas e veganas, mas uma das coisas nas quais os produtos plant based que encontramos prontos nos supermercados se destaca é na promessa de ter gosto, aparência e textura semelhantes aos produtos com carne.

Segundo a revista Exame, o plant based é um negócio promissor e está a pleno vapor com o comércio de produtos que trazem alternativa ao consumo de proteína animal chegando a mais de 29 bilhões de dólares em 2020. As projeções são ainda mais otimistas, prevendo que este mercado alcance mais de 162 bilhões de dólares até 2030, e, olhando mais ainda para o futuro, o Credit Suisse fez uma projeção que pode chegar a 1,4 trilhões de dólares de investimento até 2050.

Como anda a evolução do plant-based no mercado de alimentação?

O movimento plant-based fez tanto sucesso que já ganhou até os flexitarianos — aquelas pessoas que não são veganas, mas consomem refeições à base de plantas. Os principais motivadores são a preocupação com o bem-estar animal e em seguir uma alimentação tão saudável para o planeta quanto é para o corpo.

E não se trata apenas de vender produtos ou ingredientes plant-based nos supermercados. É importante que restaurantes e lanchonetes também se adaptem a essa grande demanda de mercado. Inclusive, muitos estabelecimentos já estão se beneficiando dessa oportunidade há bastante tempo.

O Vegan Business reuniu dados importantes sobre o mercado de plant-based no Brasil, veja só:

  • o mercado de plant-based aumentou seu faturamento em 70% entre os anos de 2015 e 2020;
  • a estimativa é que esse aumento seja de mais 60% até 2025, atingindo R$ 728,27 milhões;
  • o Brasil é o país que mais trouxe novidades para o setor em toda a América do Sul e Central;
  • os produtos com mais destaque nesse mercado incluem pizzas, iogurtes, sobremesas, sopas e petiscos;
  • as startups brasileiras de plant-based levantaram US$ 9,4 bilhões no ano de 2021 em investimentos;
  • e já são mais de 106 empresas de proteínas plant-based.

Qual é a diferença entre plant based, vegetariano e vegano?

O plant based trata-se de uma dieta, e não de uma ideologia, como propõe o movimento vegano. O plano valoriza uma alimentação natural, variada e colorida, dando preferência a insumos orgânicos com produção sustentável. Sendo assim, busca reduzir o consumo de produtos de origem animal, mas não exclui necessariamente a ingestão de carne. Portanto, esse tipo de produto ou refeição pode ser oferecido para clientes que buscam uma alimentação mais saudável ou mais consciente, como aqueles que aderem ao dia sem carne ou aqueles que querem experimentar comidas diferentes.

Já o vegetarianismo é o consumo de alimentos vegetais. É definido, usualmente, como a prática de não ingerir qualquer insumo de origem animal, mantendo ou não o uso regular de laticínios e ovos.

Por fim, o veganismo se refere a um estilo de vida, que exclui produtos de origem animal ou que envolvam animais em seu processo produtivo. Exemplos são cosméticos testados em animais, roupas de couro, sacolas plásticas de supermercado, molhos pré-preparados e algumas bebidas alcoólicas.

Quais são as vantagens do plant based?

Até aqui, você sabe o que é, quando surgiu e como funciona o plant based. Mas a dúvida que fica é sobre as vantagens dessa dieta alimentar focada na saúde, certo? Listamos as principais. Confira!

Pode auxiliar na redução de peso

O plant based, ao modificar a dieta alimentar e alguns hábitos de vida, facilita a perda de peso e, a longo prazo, tem um impacto positivo na saúde. O motivo é que a ingestão de plantas é benéfica para a redução de massa corporal, desde que a pessoa dê preferência a vegetais in natura e diminua o consumo de produtos processados e ultraprocessados.

Ajuda a prevenir doenças cardíacas

Uma das principais vantagens é a prevenção a doenças no coração. Isso ocorre porque a dieta à base de plantas, rica em grãos, legumes, vegetais, frutas e oleaginosas, contribui para o funcionamento do sistema cardíaco, evitando problemas como arteriosclerose, infarto, insuficiência cardíaca, arritmia, doença arterial, entre outros.

Faz bem para a sua pele

A dieta alimentar à base de plantas também faz bem para a saúde da pele. O consumo de alimentos vegetais contribui com a absorção de compostos bioativos no organismo, reduzindo processos inflamatórios e melhorando o aspecto da pele com a ação de alimentos antioxidantes.

Impulsiona a função cognitiva

Ao mesmo tempo, a dieta baseada em vegetais retarda o declínio cognitivo, evitando doenças que comprometem a função cerebral. Isso se deve ao fato de a alimentação à base de plantas concentrar compostos vegetais e antioxidantes, que impulsionam o cérebro e mantêm esse órgão ativo por mais tempo.

Aumenta o metabolismo

É uma dieta alimentar com baixo teor de gordura, o que tem uma influência direta sobre o desempenho do organismo. Não por menos, a ingestão de alimentos à base de plantas aumenta o metabolismo, ajudando o corpo a queimar o excesso de gordura, principalmente, quando o indivíduo realiza atividades físicas regularmente.

Protege o meio ambiente

Por outro lado, a dieta não traz benefícios apenas à saúde humana, mas também, contribui para a preservação do meio ambiente. O motivo é que um plano alimentar à base de plantas tende a reduzir o impacto ambiental, diminuindo a emissão de gases do efeito estufa e reduzindo o consumo de água e terra destinado à pecuária.

Quais produtos plant-based incluir no cardápio do restaurante?

Você deve estar se perguntando, agora, como implementar essa tendência do mercado de alimentação saudável ao seu restaurante, não é? Para ajudar na missão, listamos esses alimentos que podem ser combinados em um cardápio:

  • frutas (pêssego, abacaxi, melancia, manga, pera, banana etc.);
  • folhas (alface, rúcula, agrião, couve, espinafre, ora-pro-nóbis etc.);
  • crucíferos (brócolis e couve-flor, por exemplo);
  • raízes (batata, batata-doce, beterraba, cenoura, mandioquinha, mandioca etc.);
  • grãos (arroz, aveia, quinoa, macarrão, feijão, grão-de-bico, lentilha, ervilha etc.);
  • gordura (abacate, azeite, pasta de amendoim, tahine, óleo de coco etc.);
  • oleaginosas (nozes, macadâmia, amendoim, amêndoa, castanha-de-caju etc.);
  • sementes (semente de abóbora, de girassol, de chia, de linhaça, gergelim etc.);
  • leites à base de plantas (leite de coco, de amêndoa, de aveia, de castanha-de-caju etc.);
  • especiarias (manjericão, curry, pimenta-do-reino, alecrim, açafrão etc.);
  • condimentos (molho de soja, vinagre, suco de limão, salsa, mostarda etc.).

Desta forma, de maneira mais prática, você pode começar a incluir aos poucos opções plant based no seu cardápio como:

  • sucos naturais e verdes, além de chás de ervas, tudo sem açúcar refinado
  • vitaminas com leites à base de plantas
  • frutas e oleaginosas como opções de sobremesa
  • usar sempre especiarias e temperos naturais, como alho e cebola, para preparo das refeições – e não temperos prontos
  • trazer mais opções de acompanhamentos como saladas, legumes e grãos, como grão-de-bico e lentilha
  • substituir as gorduras por opções mais saudáveis, como uma maionese a base de abacate
  • substituir uma proteína de origem animal por um hambúrguer de proteína vegetal, por exemplo
  • dar preferência ao preparo de massas integrais
 Analise a viabilidade de um cardápio baseado em plantas no seu negócio e atenda à demanda de um público consciente sobre a importância da alimentação saudável. O importante é ter opções no cardápio que atendam aos gostos do seu público, que o seu restaurante também fique por dentro das tendências e possa se expandir para alcançar novos clientes.

Como você viu, existem vários produtos à base de plantas que podem ser incorporados ao cardápio do restaurante, desde pratos inteiros, como os hambúrgueres, até alguns ingredientes como queijo, proteína de soja, iogurtes, e assim por diante.

As iscas e os nuggets são ótimas opções para oferecer aos clientes que ainda não conhecem muito bem esse tipo de produto. Com isso, você faz uma cortesia e ainda abre novas possibilidades para expandir o consumo de produtos plant-based no restaurante.

Como vimos, não é difícil incorporar produtos mais sustentáveis ao seu cardápio. Você só precisa pesquisar e se dedicar para conscientizar seu público (ou, pelo menos, apresentar os produtos a eles). Esse é um mercado promissor, e não oferecer nenhuma alternativa à base de plantas no restaurante pode representar a perda de uma boa parcela de clientes.

Mais plant-based: Inspire com esse e-book de receitas vegetarianas, criado pelo Programa Viver Bem, da Sodexo.

Gostou de saber mais sobre tendências para pequenos restaurantes e lanchonetes? Então, assine a newsletter do Sodexo Insights e fique por dentro de mais assuntos como esses.

Quero saber mais sobre as soluções Sodexo

thumbInscreva-se para receber novos conteúdos